terça-feira, 2 de novembro de 2010

IMPULSO


Tenho ganas de lançar fora tudo o que carrego dentro da cabeça. Conhecer apenas o nome dos pássaros e das ervas. Quinhentas palavras me bastam, cem passos para dar a volta ao mundo do quintal. Olhar as estrelas sem entender o que são e querer pensá-las apenas salpicos esquecidos pelo dia que findou. Gostar do sol sem imaginar porque ilumina também as casas dos infames. Ter a inocência da chuva que sacia ao pobre e ao rico. Nunca fechar as portas da casa, deixa-la livre aos homens e animais. A criança que fui e sua inocência, sem nenhum entendimento nem cansaço, é o que exijo. E perguntar ao tempo monótono e fatal: - Então, isto não acaba? E ter pena de mim ao partir.- (Dário B.).

18 comentários:

  1. ora o rito dilui a fé e fidelidade
    sendo pois cabeça de toda desordem
    o saber prematuro é mera flor de curso
    sendo pois princípio de todo desatino

    por isso
    o homem em plena maturidade...
    ocupa-se do denso e não do diluído
    ocupa-se do real e não da florescência

    portanto
    afasta o ali ... ... ... ...agarra o aqui

    O seu texto me lembrou esse aqui. A diferença de mais de muitos anos e muitas milhas, não alterou nada. A qualidade do pensamento e do texto é também superior. Meus parabéns. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei impossibilitada de comentar aqui alguns dias...

    Li os textos anteriores e percebi um desejo de se firmar como Ser e não apenas como Estar...

    Gosto de te ler... muito!

    Beijo, alado!

    ResponderExcluir
  3. "Mora em mim que eu tenho as portas sempre abertas" (Cazuza)

    ResponderExcluir
  4. Continue! Estamos aqui para te apreciar.Bom te ler.Lindo dia. Bjs :)

    ResponderExcluir
  5. Como é bom passar por aqui e ler um texto como esse, saber que existem pessoas com tal inspiração.

    Beijos, querido!

    ResponderExcluir
  6. Dario ,

    Adoro seus comentários , vai direto na essência ... :)


    BjãO!

    ResponderExcluir
  7. Ah se todos soubessem ouvir a criança interior...

    ;*

    ResponderExcluir
  8. É uma exigência e tanto para quem não passa incólume por essa vida.
    Ainda assim, um desejo estrondoso.
    Minhas ganas também.
    Lindo
    bj
    Rossana

    ResponderExcluir
  9. e se soltar no mundo e viver!
    beijo!

    ResponderExcluir
  10. É assim um pouco da centelha divina, ver sentir, silenciar os sentidos e quanto a vida ela tem só um V sobrando a ida

    ResponderExcluir
  11. vim por impulso e apreciei o que vi...

    evoé!

    ResponderExcluir
  12. Gosto da ideia central do texto.
    Gosto de pensar que poderíamos viver mais felizes se fossemos minimalistas, tanto no aspecto material como no mental. Apenas a essência, como filosofia de vida.
    Gostei!

    L.B.

    ResponderExcluir
  13. apreciar a vida simplesmente.
    beijo!

    ResponderExcluir
  14. Dario,


    Passando pra deixar BjO de Bom Sábado !

    :)

    ResponderExcluir


  15. Não como antes, mas a vida ainda PULSA!

    :)

    ResponderExcluir
  16. Dario, também tenho ganas de lançar fora tudo o que há nessa minha cabeça, ah, tenho, mas não consigo acabar com a minha bipedice, não tem jeito!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...